quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Tá Achando Que Dividiram o Brasil?

Em 5 de novembro de 1838 começavam a ruir os Estados Unidos da América Central. Isso mesmo; a exemplo dos irmãos bem sucedidos do norte, Costa Rica, El Salvador, Honduras, Nicarágua e Guatemala se uniram em uma federação forte para melhor explorar o crescente comércio entre os oceanos Pacífico e Atlântico. Os Estados mantinham suas autonomias, como deve ser numa federação, mas raciocinavam e agiam em conjunto, em torno de conquistas e avanços, desde 1824. A total falta de infra-estrutura e comunicação, somados ao conluio carnal de igreja católica com latifundiários, demorou uma geração inteira, mas implodiu o conceito internacionalista na região em 14 anos.

Hoje vemos uma nova internacionalização na América. Desta vez iniciando pela parte sul do continente; a partir da Venezuela, estendendo pelo Brasil até Uruguai e Argentina, alcançando Bolívia e Equador, formando a Federação Bolivariana, com capital em Havana, Cuba. Lembrando que Paraguai, Peru e Colombia já pertenceram à Federação, mas dela jà escaparam e que pretendem anexar Martinica, Guadalupe, Aruba, Bonaire, Curaçao e a Guyana Francesa, exigindo suas completas independências e autonomias. Da mesma forma os bolivarianos reivindicam que a Inglaterra abra mão das Ilhas Malvinas, em favor da Argentina, tema imperativo assumido como uma causa latino-americana e caribenha. Ainda em vista, já que os chilenos se negam a fazerem alianças com países atrasados, exigem que seja retirado um pedaço do Chile e o mesmo entregue à Bolívia.

Voltando à América Central, somente a Nicarágua pertence ao bloco, enquanto El Salvador namora, posto que Honduras não gostou da experiência e pulou fora da barca bolivariana e, pra ir um pouco mais longe, a Federação defende o Estado Islâmico, o Hamas e a ditadura genocida que já matou 200 mil pessoas na Síria, bem como a invasão da Ucrania pelos russos, que aliás vendem armas para todos estes aí. Não termina por aí a pretensão internacionalista da Federação Bolivariana, já que apóia ainda o Movimento de Libertação Nacional Saharaui e da Frente Polisario, pela independência e autonomia de um trecho do deserto do Sahara, formando a República Árabe Democrática Sarahui. 

Ah, os bolivarianos NÃO admitem sequer a existência de tratados internacionais de livre comércio, como a Alianza del Pacifico, promovida por Chile, Peru, Colombia e Mexico, bem como do TransPacific Partnership, que une estes últimos a Estados Unidos, Japão, Austrália, Nova Zelandia, Malásia, Brunei, Singapura, Vietnam e Canadá.

E você aí, preocupado com a divisão fratricida que essa gente causou ao Brasil no processo eleitoral que acaba de encerrar. Melhor olhar além do horizonte, pois eles já dividiram o mundo e todas estas secessões conquistadas através de sangue. Muito derramamento de sangue. Armas russas, planejamento cubano e dinheiro do BNDES, talvez não sejam o suficiente para dividir a humanidade, mas com certeza farão um estrago irrecuperável até 2020. Se o mundo durar e a humanidade durarem tanto.