quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Gangue da Harmonia

Durante o mês de agosto as redes sociais mobilizaram o Rio Grande do Sul numa velocidade e efervescência que chegou a lembrar um episódio ocorrido há meio século, no tempo do rádio, que foi a campanha da Legalidade. Um artista gaúcho estava sendo processado pela Casa do Povo -vulgo Assembléia Legislativa- por ter publicado no Youtube uma canção onde chamava os deputados que se auto concederam um aumento que dobrava os salários, em meio as festas de fim de ano, por Gangue da Matriz. O deputado que ocupava o trono de presidente do legislativo gaúcho, pilhado por seus pares, chamou para si a defesa da corporação colocando em próprio nome a ação movida contra o cantor e compositor Tonho Crocco. Foi o que bastou para cair o mundo, via redes sociais, a partir de Porto Alegre uma vez mais, num movimento que tomou o planeta como rastilho de pólvora. A ponto de um grupo hacker de fora do RS e com radicais espalhados pelo globo defenestrar o site da assembléia. A intensidade do movimento foi suficiente para que o ex-presidente da Casa do Povo retirasse a ação movida contra o artista.

Isto passado, tomei um chope com Tonho Crocco, momento de muitas risadas pois o cara além de criativo é culto e de bem com a vida, quando entrei de sola e perguntei se ele não escreveria a canção Gangue da Harmonia, já que naquele dia os vereadores da Capital Gaúcha replicaram seus pares da assembléia e se auto concederam um aumento de 74%, retroativo ao começo do ano. A resposta veio seca:"vamos deixar a criatividade dos demais artistas locais se manifestar". Fiz menção imediata no twitter, ao que um seguidor do artista esclareceu da forma sucinta e direta como só a prática de escrever mensagens nos 140 caracteres do miniblog permitem:"se continuar fazendo músicas sobre as barbaridades cometidas pelos parlamentares isso vai virar ópera rock". Touché. O artista não pode se deixar pautar por um único tema. Seu trabalho estava feito e o dever cumprido com Gangue da Matriz.

Agora vem a notícia de que Tonho tinha razão. Nem precisou de música para evidenciar o descaso com a opinião pública dos parlamentares deste sul de mundo com a população que os sustenta. O Ministério Pública pilhou o Tribunal de Contas do Estado que, em decisão cautelar, suspendeu o aumento dos vencimentos dos titulares da Câmara Municipal de Porto Alegre. E mais do que rápido a presidente da casa se adiantou em chamar a mídia e deixar bem claro que não seguiria os passos escorregadios trilhados por seu par na assembléia:"se o TCE julgar que o aumento é inconstitucional o assunto está encerrado".
Ou seja: se no evento Gangue da Matriz o artista deu voz ao povo que fez o Rio Grande fervilhar no mês de agosto, deixando para o arquivo a tentativa de coação oficial de uma revolta encarnada pela população, a capital deste estado não poderia entrar setembro aceitando uma desfaçatez do mesmo quilate tornar-se real. Desta vez, as entidades públicas, sustentadas pelos impostos da população local é que tomaram à frente e trouxeram luz a mais este episódio de trevas.

Tonho Crocco não precisará lançar um "box" de discos contendo uma ópera rock sobre gangues parlamentares. Algum bom senso surgiu desse furdunço, mesmo que este escriba não acredite que o TCE venha a julgar o aumento como inconstitucional e tudo tornará como dantes no quartel de Abrantes.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Herança da Fazendeira

Uma semana com tanta chuva merece começar com algum humor. Tipo rir pra não chorar. Lá vai


A vovó estava morrendo e manda chamar o neto.
- Meu querido, vou morrer em breve, mas quero 
que você saiba que vou te deixar minha fazenda, 
os tratores e debulhadoras, os cavalos,vacas, 
cabras e muitos outros animais, o estábulo e 
todas as plantações, além de R$ 2.450.000. 
Cuida de tudo com muito cuidado.
- Eitaaa vó, eu nem sabia que a senhora 
tinha uma fazenda. Onde fica?
A avó dá um último suspiro antes de 
morrer e responde:
- No Facebook. 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Isso é tudo tão ontem

O dia foi longo, mas não podia perder a oportunidade de escrever isso hoje. Afinal na velocidade acrescentada pelas redes sociais à informação que circula na internet, amanhã o assunto corre o risco de estar velho. 


Faz 3 semanas, subi a serra ouvindo as rádios no meio do caminho e cheguei a Bento sem a principal informação daquele sábado. Ao entrar no plenário do #TwitterMix desvirtualizo @SoniaBertocchi que, ato contínuo dá em primeira mão:"morreu Ami Winehouse". Passaram-se as duas horas do debate inicial e quando chega ao fim a palestra de Sonia, que seguia a abertura, comuniquei que, no twitter, já havia reclamações sobre como o tema "morte da popstar drogadicta" já tinha enchido o saco, era assunto de ontem. Hoje então, falar sobre a morte de Amy Wynehouse parece assunto de Museu da Imagem e do Som.


Há duas sextas-feiras, o fim de semana iniciou com a inserção do comercial da Nissan Frontier, Malditos Pôneis. Virou TT imediato no Twitter e assim foi madrugada adentro. Eu assistia ao lado do caçula e ambos demos muitas risadas. Quando descobrimos o material preparado pela agência de propaganda na internet então, foi festa noite afora. Um mísero dia depois e a Bradesco Seguros coloca no ar o filme Biafra, que dispara nos TTs e deixa os adoráveis Malditos Pôneis para trás. Para ontem, pensando bem.


Neste fim de semana, um trabalho iniciado anteriormente, atingiu seu auge na madrugada de domingo para segunda-feira: o case Nova Ipanema. Durante uma quinzena uma estratégia de marketing bem executado pulverizou um "hoax" sobre uma pretensa mudança na programação da rádio roqueira dos gaúchos da região metropolitana. A tal nova programação teria uma linha popular jovem, classe CD, sepultando a história de quarto de século da emissora que começou tocando o lado B dos velhos compactos vinis.
Durante toda a madrugada e ao longo do dia seguinte, a rádio do "n" rodou apenas um playlist popular, com vinhetas pré-gravadas no lugar dos rebeldes locutores que fizeram a história dessa célula de resistência. Ao ponto de rodar Ivete Sangalo, Luan Santana e Justin Bieber. Foi como se tirassem o ar de uma legião fiel de ouvintes. Eles preferiam morrer a ver seus objeto de adoração transformar-se naquilo.
Ao longo dessas quase 20h, a quantidade de mensagens, twitters, participações na página do Facebook, torpedos e emails acumulados foi o suficiente para os responsáveis pela manutenção do bastião da rebeldia radiofônica da Capital Gaúcha poderem apresentar argumentos irrefutáveis aos gênios de São Paulo, que insistem em transformar o canal numa rádio popular, que uma revolução pode acontecer nos pampas se acabarem com a Ipanema. Até que foi divulgada a notícia de que tudo não passava de uma "pegadinha".
Foi "marketing de guerrilha"? Eu diria que foi mais que isso, travou-se uma batalha da guerra travada contra o poder central da Rede Bandeirantes SP. Só pessoas que não se encaixam no perfil de audiência da rádio e gente mal humorada não conseguiu dar risadas de tudo isso. Afinal, a batalha foi ganha com louvor, pois o case é o grande sucesso desta segunda-feira.


Mas isso foi ontem e já é quase amanhã. Isso é tudo tão ontem..!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Um caixa "especial". Momento positivo do dia

Estamos sempre com pressa. Então, nesta manhã, saindo da aula de italiano e no caminho para a academia, parei no Zaffari para pegar duas coisas, afinal aquilo não me retardaria nem 10 minutos.
Escolhidas as compras, dirijo-me a um caixa com pouca fila, no que me surpreendo com a lerdeza do atendimento. Olhei bem e reparei que tudo era devagar porque a menina fazendo o serviço de caixa e empacotamento das compras era portadora de síndrome de Down.
Primeira reação do estressado: "mas quem é que coloca uma pessoa assim para atrasar o cliente num supermercado?" Ato contínuo pensei em trocar de caixa, mas subitamente o anjinho azul mandou seu antagonista vermelho às favas e sussurrou em meu ouvido:"por que não espera tua vez e observa, enquanto isso?" Foi o que fiz.

A menina aparentava vinte e poucos anos e fazia toda a operação de forma binária, passando calmamente cada objeto no scanner, colocando-o confortavelmente no balcão e posteriormente pegando as bolsas e empacotando ítem por ítem com muita segurança.

Primeira reação do já desestressado: se uma pessoa portadora de uma dificuldade funcional tão importante é capaz de exercer esta função, por que é que tem gente considerada "normal" ocupando a mesma vaga? Se está provado -ela podia ser lenta, mas não errou- que a função pode ser executada por uma portadora de síndrome de Down, por que todas as outras caixas não são ocupadas por pessoas semelhantes e treina-se as atuais caixas para operações mais sofisticadas que requerem uma agilidade maior?

Daí o diabinho vermelho saiu do seu silêncio abjeto e gargalhou:"porque as outras não tem capacidade para mais. São umas toupeiras".
Ponto pro Zaffari que treinou a guria e apostou nela. Ponto pra ela, uma vitoriosa que não se abateu com a dificuldade que a vida lhe impôs e consegue se sustentar com um trabalho digno. E ponto pro vermelhinho, pois temos de concordar com ele: aquelas toupeiras que em geral nos atendem nos caixas de supermercados testam o limite de nossas paciências com suas estupidez e incompetência.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Não desperdice seu tempo

Publico assim como recebi. Até que faz algum sentido

Queridos amigos Como tenho me dedicado a leitura nos ultimos dias resolvi apresentar a voces um breve resumo de algumas obras que li. William Shakespeare Romeu e Julieta 821 paginas. Dois adolescentes doidinhos se apaixonam, mas as famílias proíbem o namoro, as duas turmas saem na porrada, uma briga fodida, muita gente se machuca. Entao, um padre filho da puta tem uma ideia idiota e os dois morrem depois de beber veneno, pensando que era sonifero. Fim. ******** Gustave Flaubert: Madame Bovary. 778 paginas. Uma dona de casa mete o chifre no marido e transa com o padeiro, o leiteiro, o carteiro, o homem do boteco, o dono da mercearia e um vizinho cheio da grana. Depois entra em depressao, envenena-se e morre. Fim. ****** Leon Tolstoi Guerra e Paz. Paris, Ed.Chartreuse. 1200 paginas Um rapaz nao quer ir à guerra por estar apaixonado e por isso Napoleao invade Moscou. A mocinha casa-se com outro. Fim. ******** Marcel Proust: A La recherche du temps perdu. (Em Busca do Tempo Perdido) Paris, Gallimard. 1922. 1600 paginas. Um rapaz asmatico sofre de insonia porque a mae não lhe daá um beijinho de boa-noite. No dia seguinte (pag. 486 vol. I), come um bolo e escreve um livro. Nessa noite (pag.1344, vol.VI) tem um ataque de asma porque a namorada (ou namorado?) se recusa a dar-lhe uns beijinhos. Tudo termina num baile (vol. VII) onde estao todos muito velhinhos - e pronto. Fim. ******** Luis de Camoes: Os Lusiadas. Editora Lusitania Um poeta com insonia decide encher o saco do rei e contar-lhe uma historia de marinheiros que, depois de alguns problemas (logo resolvidos por uma deusa super gente fina), ganham a maior boa vida numa ilha cheia de mulheres gostosas. Fim. ********* William Shakespeare Hamlet Esse e foda. Um principe com insonia passeia pelas muralhas do castelo, quando o fantasma do pai lhe diz que foi morto pelo tio que dorme com a mae, cujo homem de confianca é o pai da namorada, que, entretanto, se suicida ao saber que o principe matou o seu pai para se vingar do tio que tinha matado o pai do seu namorado e dormia com a mae. O principe mata o tio que dorme com a mae, depois de falar com uma caveira e morre assassinado pelo irmao da namorada, a mesma que era doida e que tinha se suicidado. Fim. ******** Sofocles: Edipo-Rei Maluco tira uma onda, nao ouve o que um ceguinho lhe diz e acaba matando o pai, comendo a mae e furando os olhos. Por conta disso, seculos depois, surge a psicanalise que, enquanto mostra que voce vai pelo mesmo caminho, lhe arranca os olhos de cara em cada consulta. Parada muito doida. Fim. ********* William Shakespeare Othelo Um rei otario, tremendo ze-roela, tem um amigo muito filho da puta que so pensa em faze-lo de bobo. O malandro, nao ganha um cargo no governo e resolve se vingar do rei, convencendo o de que a rainha está dando pra outro. O ze mane acredita e mata a rainha. Depois descobre que não era corno, mas apenas muito burro por Ter acreditado no traíra. Prende o cara e fica chorando sozinho. Fim. Pronto! Você economizou a leitura de pelo menos 7.000 páginas e R$ 2.500,00 em livros, e agora pode comprar a sua Playboy e ainda tirar uma onda de intelectual!!! 
Atenciosamente, PAULO SCHARLAU Em tempo Não sou analfabeto. Tentei nao usar acentuacao e cedilha para evitar os erros.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Solidariedade racional

Atenção pessoas queridas das redes sociais: durante esta quinzena de agosto, compartilhem um pouco do afeto e denodo que dispensam aos amiguinhos de 4 patas e canalizem um pouco desta energia prestando atenção a alguns amiguinhos bípedes. 

A sequência de chuvas já faz um número mais alto de desabrigados do que as estruturas públicas podem amparar no Rio Grande do Sul. Em sua quase totalidade, gente humilde e trabalhadora, com rápida capacidade de recuperação, mas que precisa de ajuda nessa hora.

Não peço que esqueçam seus animaizinhos de estimação, menos ainda daqueles abandonados ou precisando de adoção; peço apenas que, durante este período, compartilhem um pouco de suas bondades também para os amiguinhos humanos desamparados, que não aceitam adoção, mas precisam desesperadamente de um quilo de alimento, uma roupa seca, um colchão e até de um abraço.

Podendo ajudar, entre e contato com a Defesa Civil, através dos fones 199 ou (51)3210 4219, ou sigam as atualizações através do twitter @rsdefesacivil
Em tempo: muitas das famílias desabrigadas também possuem amiguinhos de 4 patas com necessidades de alimentos e atenção nesse momento de dificuldade

domingo, 7 de agosto de 2011

Angry Birds No Ar

O post de hj vai para o meu amorzinho @jupolidance que ama essas duas coisas acima de mtas outras: Angry Birds e viajar. É pra ti, pequeninha

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Gaúcho faz New York Times Twittar em Português (digna de O Bairrista)

Eu amo esse sul de mundo

Nada como um dia após o outro com 24h no meio. Cadê o cinza, onde foram parar as nuvens e a tormenta que chegou logo após o sol se por?

Porto Alegre não tem habitantes, apensas sobreviventes.
Em tempo: aquela coisa amarela, avermelhada no fundo da foto se chama sol

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Só pago se tiver negativa

Jantando com amigos, eis que chega a hora da dolorosa. Ao pedirmos, um dos circunstantes sugere ao garçon que ao trazer a conta, anexe as negativas de débitos, dívidas e protestos da empresa sob qual nome se submete o restaurante. Todos os demais ficam pasmos, inclusive eu, ao que ele complementa: "num mundo onde até os Estados Unidos estão dando calote, como é que eu vou saber que isso aqui não é uma instituição insolvente?"

Aí mesmo é que a coisa ficou menos compreensível. Como a mesa era feita de empresários da comunicação ele antecipou: "se você prestar um serviço para o governo federal, entregar o serviço e tiver todas as despesas para tornar isso possível, na hora de apresentar a conta, o governo vasculha teu cadastro e descobre que tua empresa tem lá uma pendência administrativa com a previdência; ato contínuo, não paga. Se vale pra eles, por que não vale pra todos?"

Pensem nisso enquanto eu vasculho minhas gavetas à procura de minhas negativas.